terça-feira, 18 de julho de 2017

Um Marinheiro em Macau: 1903

Um Marinheiro em Macau 1903 - Álbum de Viagem
Edição: Museu Marítimo de Macau, 1997. 
Trata-se de uma edição profusamente ilustrada com fotos de Macau e Cantão tiradas pelo autor, e ainda cartões-de-visita, postais e documentos da época e uma colecção de reproduções de aguarelas do autor sobre motivos chineses. 
As origens desta edição remontam ao início do século XX. Filipe Emílio de Paiva escreveu um álbum com anotações da viagem da canhoneira Diu durante a estação de serviço no Oriente em 1903. Os 3 volumes por ele produzido seriam oferecidos pela viúva à Sociedade de Geografia de Lisboa em 1957. Durante quase 40 anos os documentos ali permaneceram até serem redescobertos pelo arquitecto Jorge Graça e pelo tenente coronel Armando Cação quando procediam a investigações para o futuro Museu de Macau. O assunto e o interesse na sua divulgação acabou por chegar ao conhecimento do director do Museu Marítimo de Macau que viria viabilizar a publicação em 1997 de "Um Marinheiro em Macau 1903 Álbum de Viagem", com o trabalho do 

Festividade de Kuan Tai em Macau. ca. 1903 (do livro)
Filipe Emílio de Paiva (na época Primeiro Tenente de Marinha e mais tarde Contra Almirante) tinha como pseudónimo literário o nome de Emílio de San Bruno. Nessa qualidade escreveu  três romances para 'apoiar' o esforço colonial português. Um sobre Angola, outro sobre Moçambique e outro sobre Macau intitulado "O Caso da Rua Volong - Scenas da Vida Colonial" (1928) impresso em Lisboa pela Tipografia do Comércio.

Sem comentários:

Enviar um comentário